Se você já fez dieta, sabe que a fome é um aspecto difícil de lidar. Quando bate aquela vontade incontrolável, o cérebro começa a encontrar vários caminhos para consumir a primeira coisa que aparece.

Os sacietógenos são medicamentos que podem ser utilizados nestas ocasiões, porque inibem o apetite. Eles agem no sistema nervoso e estimulam a sensação de saciedade. Isso quer dizer que a pessoa se sente satisfeita mais rapidamente e, consequentemente, acaba comendo menos.

Quando sentimos fome, o estômago envia ao nosso cérebro um recado dizendo que precisamos comer. Da mesma forma, quando nos alimentamos, o estômago vai ficando cheio, dilata e envia ao cérebro outra mensagem de “pare de comer estou saciado” e, então, são liberadas substancias, que desencadeiam a sensação de saciedade.

É exatamente assim que o sacietógeno funciona. Quando tomamos este remédio, ele faz com que o cérebro libere estas mesmas substancias e por isso não sentimos fome, mesmo que o estômago esteja vazio.

Parece brilhante, mas nem tudo são flores. A notícia ruim é que devemos evita-los já que possuem muitos efeitos colaterais preocupantes como náuseas, boca seca, constipação, ondas de calor, taquicardia e outros.

Existem também os sacietógenos naturais que reduzem nosso apetite, sem causar tantos efeitos colaterais. Um bom exemplo são as fibras solúveis, que formam uma”esponja” que dilata o estômago e, desta forma, ele entende que está cheio e manda seu recado para o cérebro gerando a sensação de saciedade e assim, você fica sem fome por mais tempo.

Existem muitas substancias que ajudam a inibir nosso apetite. Cada uma delas tem a sua própria estratégia de “conversar” com o cérebro. O importante é lembrarmos que nunca devemos tomar qualquer remédio por conta própria. Precisamos ter sempre em mente a importância de consultar um profissional da saúde habilitado para nos auxiliar nesta jornada.

Fonte: Gabriela Deutsch