Ontem atendi uma cliente nova que chegou relutante ao consultório e, após ouvir sobre o meu trabalho, perguntou: “Será que devo começar a dieta agora? Não é melhor esperar passar o casamento da minha filha no final do mês?” Não hesitei em respondê-la com outra pergunta: “Será que no mês que vem não terão outros eventos?”

Este pensamento é tão comum! Quantas vezes damos desculpas esfarrapadas e nos enganamos para comer de tudo? Estes pensamentos que querem arruinar com a nossa dieta são chamados de “sabotadores”. São eles:

  • “Sei que não deveria comer isto, mas não me importo”;
  • “Só um pedacinho”;
  • “Segunda-feira eu começo”;
  • “Tive um dia tão difícil, mereço comer o que quiser”;
  • “Nem estou tão gorda assim”;
  • “Não consigo resistir a essa comida”;
  • “Estou chateado, tenho que comer”;
  • “Não tenho nenhuma outra diversão senão comer”;
  • “Nunca vou emagrecer”;
  • “Já que comi de tudo, vou continuar comendo até o final do dia”;
  • “É muito difícil, não quero continuar na dieta”;
  • “Para pertencer a esta família preciso comer que nem eles”.

Talvez não perceba, mas SEMPRE existe um pensamento que precede o ato de comer. Eles surgem quando você recebe um estímulo: o cheiro de um bolo, um desejo incontrolável de comer, assistir Masterchef, participar da ceia de Natal, etc.

O segredo está em identificar os estímulos que provocam os pensamentos sabotadores de forma a minimizar sua exposição a eles ou mudar a forma de enfrentá-los. Conhecer bem nossas fraquezas é o melhor caminho para saber como contorná-las – algumas delas vão conviver com a gente por um bom tempo. Além disso, é importante:

  • Tolerar a fome e o desejo incontrolável de comer – acredite: eles passam!
  • Pensar de forma diferente sobre comida – Apesar de deliciosa, ela não é sua única fonte de prazer!
  • Lidar com as emoções de maneira produtiva e não comendo!
  • Fazer da alimentação saudável uma condição mais importante do que agradar outras pessoas que ficam te oferecendo comida ou ainda satisfazer uma vontade momentânea.

Também podemos responder a esses “pensamentos sabotadores”. Lembre-se dos aspectos bons de emagrecer:

  • Como se sentirá magro(a)?
  • Por que é tão importante para você emagrecer?
  • A comida é um prazer momentâneo, passageiro. Estar com o corpo que você quer é um prazer bem mais duradouro.

A forma como pensa hoje levou anos para ser construída e modificá-la dá trabalho e demanda tempo! Mudar hábitos é bem chato no início, mas é a partir da ação que as mudanças vão aparecer e, com elas, a motivação. Não espere que esta última brote repentinamente. Você não pode impedir que os pensamentos sabotadores apareçam, mas pode reagir a eles.